Vez ou outra nos colocamos a pensar no quão corajosos somos.  Talvez a coragem esteja numa fila para a montanha russa, quando nos desafiamos a superar o medo da altura e da velocidade. Talvez a coragem esteja no check-in do aeroporto, quando trabalhamos nosso medo de voar. Talvez esteja no “apertar” da campainha, quando estamos a poucos minutos de nos declararmos para a pessoa amada. Talvez esteja num longo e difícil tratamento de câncer.

A coragem se reveste de mil faces, todas elas dignas de ocuparem as narrações emocionadas de quem a viveu e de quem a presenciou.  A coragem está nos atos de bravura, nas superações incontestáveis, nos grandes feitos, está nos desafios vencidos, nas dificuldades superadas.  A coragem, qualidade dos fortes, não é característica permamente, eterna. Coragem é característica que se renova de ato em ato, de fato em fato, a cada novo desafio, nos obrigando a assumi-la ou não sempre que uma situação nos exige um pouco mais de esforço.

Coragem vem do latim e tem a ver com ações do coração. Coragem quer dizer um agir pelo coração (não é lindo isso?), quer dizer encarar os medos, enfrentar as dificuldades, investir na auto-confiança, trabalhar as incertezas, afastar o perigo.

Às vezes queremos tanto algo… às vezes desejamos imensamente que nossa vida seja outra… às vezes esperamos ansiosamente por um recomeço… às vezes sabemos perfeitamente que se dermos um passo a frente, tudo pode ser melhor, mas falta coragem.

Nós, cheio de amarras, criamos mil empecilhos para ouvir nosso coração e agir tornando real o que ele nos pede.  Temos o olhar intimidador dos outros, temos o medo de errar, temos o receio de sermos julgados, temos muitas dúvidas sobre o futuro, temos muita dificuldade de acreditarmos em nós quando todos dizem “não vai dar certo”, temos insegurança de abrir mão do que já conquistamos. Queremos tanto e não conseguimos fazer. E aí, exatamente nesse ponto, é que entra em cena nossa CORAGEM.

Ela nos reveste com uma couraça, ela nos envia um escudo, nos torna mais fortes e então caminhamos entre tudo o que nos impede de seguir. A coragem faz os medos se calarem, faz as dúvidas desanuviarem, faz a auto-confiança crescer, faz das dificuldades estímulos a serem superados. Ao mesmo tempo, a coragem é tão mágica e tão encantadora, que mesmo entrando em cena, ela ainda é pano de fundo, ela ainda é bastidores, porque a coragem, por si só, não quer e não precisa chamar atenção para si mesma. A atenção está no feito alcançado, na felicidade obtida, no resultado a que se chegou. Coragem é instrumento para alcançarmos o que tanto desejamos. A nós, toda a coragem do mundo…que felizes seremos!

 

Autor

Paula Quintão segue a desvendar os mundos internos e externos. É escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Doutora em Sustentabilidade, montanhista, paraquedista e mergulhadora. Mãe da Clara. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU (2012) e O Caminho Que As Estrelas Me Viram Cruzar (2017). Escreve semanalmente dentro das temáticas autoconhecimento, escrita, transformação de vida e empreendedorismo em paulaquintao.com.br

  • Às vezes sou corajoso, as vezes um rato covarde. :p

    Não se trata, afinal, de não ter medo, mas de ter ímpeto e encarar o medo de frente. Quando os desafios se mantêm por algum tempo, pensamos que somos bravos guerreiros, simplesmente porque não há mais medo algum. Falar em público, por exemplo, já me assustou bastante, mas hoje é coisa banal. Não tomei coragem: apenas perdi o medo. Há coisas, no entanto, que ainda me gelam a espinha e paralisam. Mas o tempo está comigo, e com ele vem se acumulando a vontade. Aquela vontade que acaba te obrigando a olhar seu medo de frente. Acaba que, não tendo pra onde correr, surge a luta. É como quando um rato é encurralado pelo gato e então pula em direção a em ataque. Há coisas nessa vida que só enfrentamos mesmo quando o destino coloca na nossa cara. E é irônica a frequência com que isso acontece…

    • Além de coragem não ser qualidade permanente, só mesmo a gente para julgar se fomos ou não corajosos numa situação ou em outra. Pode ser banal atravessar a lagoa a nado para alguns, pode ser o maior ato de coragem do mundo atravessar a lagoa a nado para outros. Cada um com suas dificildades, cada um com seus desafios, cada um com seus rompimentos. Saudades, Silas, tenha um ótimo 2012! Terei coragem de passar pelo aeroporto do Rio de Janeiro e ir de ônibus até Minas qualquer dia do ano. =)

  • VOCÊ É UMA GUERREIRA CORAJOSA,
    GUERREIRA SÁBIA, TENAZ…

  • Leandro

    A coragem é uma faca de dois gumes, às vezes ela nos faz entrar em situações de alto risco que simplesmente nunca entraríamos não fosse por ela. A coragem mal administrada é tão péssima quanto a sua falta. Já vi amigos perderem irmãos por coragem em tentar resgatar do afogamento alguém querido. Enfim… cada um sabe o que faz.

    • Não é a coragem que nos faz perder a vida, Leandro. Coragem nos faz ganhar a vida com mais abertura e mais enfrentamentos. Consciência de risco não tem a ver com coragem e eu sei que não poderia resgatar ninguém se afogando pois não tenho força física para isso. Da mesma forma, consciência de risco é diferente de medo. O medo nos bloqueia e nos impede de seguir por estradas que podem ser muito seguras.

  • Nanda

    Se tivesse escrito isso pra mim não estaria tão de acordo!
    Só posso dizer: Obrigada, prima linda, por palavras tão valiosas de se ler!!