Lá estava ela no palco do America’s Got Talent. Pequena no palco com seu “violão”.

“Você acredita que pode ser uma das campeãs?”, perguntou um dos jurados. 

“Eu acredito em milagres”. 

E anunciou que cantaria uma música criada por ela mesma. 

Maravilhosa e inspirada, ela canta e toca a música de própria autoria. Entoa versos em que diz não saber seu nome, que não joga conforme as regras do jogo e que só está tentando, “só está tentando”. 

“Eu não sei meu nome. Eu não sigo as regras do jogo. Eu só estou tentando, tentando”. 

“Eu só estou tentando fazer o meu melhor”. Há muita força nessa expressão. 

E assim, Grace iniciou sua jornada de America’s Got Talent sendo saudada de pé pela plateia. 

Aquela pequena menina em seus 12 anos, emocionava pela grandeza de sua alma. Miúda, era imensa.

Grace não só brilhou em sua apresentação de seleção, mas em todo o caminho, etapa a etapa, da competição. Fazendo o seu melhor, “ela só estava tentando” fazer do seu jeito. E lindamente foi a campeã do programa. Chuvas de luz. 

Chorei tanto revendo os vídeos dela, como me emociona. E me emociona pela vulnerabilidade assumida. Pelo agradecimento ao receber um elogio. Por se saber pequena e por se saber como o próprio milagre. Por se mostrar tão natural e como é. Por “só estar tentando”, “só estar tentando”. 

Grace me trouxe muitas lágrimas, muitas lágrimas de emoção por quão singela é a vida, por quão tênue é a linha que separa a vida com peso nos ombros da vida em milagres. Grace me trouxe tantas lágrimas porque, de fato, ela vive a acreditar em milagres e a saber que é o próprio milagre da sua vida. 

A vida pode ser mais simples e leve quando nos colocamos nessa posição: estarmos comprometidos em fazer nosso melhor e assumirmos que tudo o que fazemos é uma tentativa, uma simples e verdadeira tentativa de fazer nosso melhor. 

Paula Quintão

18 de setembro de 2016

Author

Paula Quintão é escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU. "De passo em passo eu desvendo um mundo dentro e fora de mim".

  • Rico Oliveira

    Nossa, Paula! Suas doces palavras de sempre entoaram como o suave canto deste ANJO apresentado no texto.

    Por si só bastaria para emocionar. Contudo, após ler cliquei no vídeo e quase me afoguei de chorar .

    Como é grandioso assumir nossas fraquezas, nossos medos e não escondê-los do mundo.

    Assim como a ALMA posta em poesia por esta menina iluminada, devemos seguir fazendo, sorrindo, chorando, mas sempre TENTANDO…TENTANDO.

    Muito grato por nós encantar com mais esta partilha.

    Com carinho.

    • http://www.paulaquintao.com.br/ Paula Quintão

      E assim nos fortalecemos, e assim nos abastecemos, e assim somos mais humanos. Obrigada, Rico, hoje e sempre por sua presença nas minhas entregas.

  • Raquel Guiote Ribeiro

    Paula do céu……..que demaissss
    Muito pra refletir e tentar apenas tentar