Independência tem a ver com maturidade.
Independência tem a ver com ser capaz de se administrar. Tem a ver com fazer escolhas bem pensadas. Tem a ver com estar consciente todo o tempo.
Independência tem a ver com interromper a posição da vítima e se colocar em postura de autorresponsabilidade.
Independência tem a ver com se autoconhecer em profundidade para então curar o que precisa ser curado e ser possível celebrar e usufruir a liberdade de ir e vir, de ser e estar.

Um país é extensão de sua população, das pessoas que compõem o todo. E para termos um país independente, só mesmo sendo independentes. Somente amadurecendo. Somente sendo capazes de administrar as nossas próprias vidas, saindo da posição da vítima e assumindo autorresponsabilidade. Somente se autoconhecendo para curar e libertar.

Sendo parte, eu sou o todo.
Olhando para o todo, eu posso trabalhar a parte que me cabe.

Um belo dia de independência para nós.
Paula Quintão.
07 de setembro de 2016

assine_newsletterb banner_novoeu

Autor

Paula Quintão segue a desvendar os mundos internos e externos. É escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Doutora em Sustentabilidade, montanhista, paraquedista e mergulhadora. Mãe da Clara. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU (2012) e O Caminho Que As Estrelas Me Viram Cruzar (2017). Escreve semanalmente dentro das temáticas autoconhecimento, escrita, transformação de vida e empreendedorismo em paulaquintao.com.br