Um mantra para celebrar a vida
Pode estar frio. Mas eu me acolho por dentro.  
Pode estar um caos. Mas eu consigo fluir como água e escorrer entre as pedras.
Pode estar ferido. Mas toda a cura está em mim.
Pode haver cansaço. Mas um passo a mais eu consigo dar.
Pode ser preciso chorar. E então eu me debruço sobre meus próprios ombros e choro.
E tudo bem. Há muita beleza em tudo isso.
Pode não ser possível enxergar depois da curva. Mas mesmo assim seguimos em frente.
Transformados. Confiantes. Iluminados.

 

Paula Quintão

outubro de 2015

 

assine_newsletterb

banner_novoeu

Autor

Paula Quintão segue a desvendar os mundos internos e externos. É escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Doutora em Sustentabilidade, montanhista, paraquedista e mergulhadora. Mãe da Clara. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU (2012) e O Caminho Que As Estrelas Me Viram Cruzar (2017). Escreve semanalmente dentro das temáticas autoconhecimento, escrita, transformação de vida e empreendedorismo em paulaquintao.com.br