Olhar as sementes sempre me encantou. Fico olhando a mágica que está guardada ali dentro e me encanto. Basta um pouco de terra fértil e água, e “voilá!”, a magia se faz.

“Não há fruto sem semente”, era o que Amélia Clark dizia em sua palestra sobre dinheiro e espiritualidade, sobre não haver dúvida de que seremos providos, sobre o universo e sua abundância há alguns dias no Rio de Janeiro.

E estamos em tempo de natal. E o natal é tempo da magia. A magia da partilha, da mesa posta pelo que a terra nos trouxe, do abraço de afeto, do nascimento. O nascimento é o grande centro do natal. O nascimento de Jesus que é um dos maiores representantes da vivência do amor nesse mundo. E  o nascimento nada mais é do que o germinar da semente graças a um processo de muito amor e acolhida – seja da terra, seja do útero, seja do coração. É o despertar. É o florescer. É o vir à vida. O nascimento está a acontecer ao nosso redor a todo o tempo. É uma mágica. Basta ter olhos para ver.

Cada um de nós, a sua maneira, está no natal a celebrar “nascimentos”.

Eu, daqui, celebro o florescer. O florescer que só é possível graças ao germinar, ao ganhar vida, ao nascimento, ao amor. Celebro o nascimento que está a acontecer na minha vida todos os dias, eu celebro o florescimento da minha mais pura essência, do encontro comigo mesma, da mágica que é o meu despertar, que é o meu florescer, que é a consciência do divino que vive em mim. Esses são os nascimentos que celebro hoje.

Para esse natal, escolho uma citação de Prem Baba para nos trazer luz e uma imagem que tirei nos últimos dias do meu Caminho, muito próximo de chegar ao meu destino Santiago. Pelo Caminho de Santiago os muitos quilômetros andados me permitiam olhar com muita calma o que se passava ao redor dos meus pés. E as sementes estavam sempre por lá. Sementes, folhas secas, castanhas, frutas silvestres, flores, o verde. Era muito abundante a natureza do Caminho, como é muito abundante a natureza da mãe Terra, como é muito abundante a vida e seus floresceres.

 

semente_caminho

 

“O homem é uma semente, um potencial que pode ser manifestado ou pode ser desperdiçado. A colheita espiritual é sempre um mistério: plantamos pensamentos, palavras e ações, mas não sabemos quando vamos colher os grãos. Nosso trabalho é plantar pensamentos, palavras e ações que estejam alinhados com a Verdade maior. Em outras palavras, é plantar o bem para colher o bem.”

Sri Prem Baba

 

Daqui eu te desejo uma bela celebração dos muitos nascimentos que acontecem em sua vida. Que seja um belo tempo de amor. Feliz tempo de Natal para nós.

Paula Quintão

24 de dezembro de 2015

 

assine_newsletterb

banner_novoeu

Autor

Paula Quintão é escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU. "De passo em passo eu desvendo um mundo dentro e fora de mim".

  • Rico Oliveira

    Querida Paula,

    Antes de qualquer coisa, vicê plantou em mim a semente do Amor!

    Com suavidade e leveza me mostrou caminhos a seguir e jornadas a empreender.

    Despertou a vontade de agir e de alcançar meus objetivos.

    Demonstrou o QUE fazer e COMO seguir.

    Produziu LUZ que não pára de irradiar.

    Por tudo isso, Minha Mentora, Mestre e Inspiração, dou-lhe graças por tua VIDA.

    E desejo a você e àqueles que te acompanham e te querem bem vigorosa semeadura e profícua colheita.

    Feliz Natal, Paula Quintão.

    • http://www.paulaquintao.com.br/ Paula Quintão

      Rico Oliveira, que lindo! todas essas forças estão aí dentro de você desde sempre. A vida nos traz pequenas fagulhas e luzes, fico feliz de ter sido essa presença em sua vida. Feliz natal para você e sua família!