Estava há alguns dias hospedada em São Paulo para ministrar uma Oficina quando minha aluna, integrante de um dos meus programas, Alessandra me enviou mensagem dizendo que deixaria algo para mim no hotel. Anotei para eu não esquecer de pegar quando fizesse meu check-out e passei os dias com agenda bem cheia, muitos encontros e muitas atividades. Por pouco, não me esqueci de pegar a encomenda.

Minutos antes de sair do hotel abri meu email e lá estava a mensagem da Alessandra me lembrando que a encomenda estava me esperando. Fiz toda uma organização mental do meu tempo para passar pela recepção antes de partir, eis que nesse momento batem na minha porta, era a recepcionista com a encomenda da Ale.

Há histórias muito emocionantes que se passam como um filme diante dos nossos olhos. E a história da Ale é uma delas. Desde quando ouvi, pela primeira vez no início de 2015, sua história, se tornou impossível não me lembrar dela quando ouço Disney World. E já te explico o motivo…

A história ficou registrada assim na minha memória e imaginário. Com seus 10 ou 12 anos, a pequena Alessandra começou a sonhar a ir para a Disney. Queria com toda a sua força conhecer o reino mágico e encantado, como muitas das meninas da sua idade. Primeiro passo: ensaiou, ensaiou e foi até seu pai pedir a viagem de presente, mas tudo o que ele disse foi que era impossível e que não arcaria com aquelas despesas.

Diante do “não” que recebeu de seu pai, ela ficou muito mal. Os “nãos” costumam gerar reações de todos os tipos em nós, mas nela a coisa seguiu mais ou menos assim: num primeiro momento ficou chateada, chorou, reclamou aos céus sua sorte… até que num estalo ela inaugurou um segundo momento, buscou com todas as suas forças e energia, ativamente e com um espírito muito positivo, uma solução para que seu sonho se realizasse.

O que ela sabia fazer? Docinhos! Aquela menina de 12 anos começou a produzir muitos e muitos docinhos e vender no colégio para sua turma e para os outros alunos. Todo o dinheiro que ela ganhava, ela guardava. E acredite! Guardou por meses o bastante para comprar sua passagem para a Disney.

Fico daqui imaginando semblante de triunfo daquela menina quando via o montante de economias crescer e crescer…. imaginando a expressão do rosto dela quando viu o valor das finanças alcançar o valor total da passagem.

Ela então foi contar ao seu pai e ele topou arcar com os custos na própria Disney. E lá estava um sonho realizado, Ale Faccini triunfante. É uma história e tanta.

E então, no hotel de São Paulo, eu recebia da recepcionista a encomenda deixada pela Ale. O que seria? Recebi em minhas mãos uma caixinha muito bem embalada. Enquanto eu assinava o formulário do hotel de recebimento, minha curiosidade era grande.

Sentei na cama, fui abrindo com todo cuidado a caixinha, fita após fita, e lá estavam eles… os docinhos que anos atrás levaram aquela menina à Disney, levaram aquela menina a acreditar nos seus sonhos, e que fazem essa história tão inspiradora percorrer outras vidas como a minha e me enchendo de muito entusiasmo para ir em direção a tudo o que eu sonho.

Na cama do hotel eu chorei de emoção. Chorei e chorei. Chorei por ver a história da Alessandra materializada ali diante de mim. Chorei por todos os sonhos que realizei e todos os que deixei guardados na gaveta. Chorei pela simplicidade e pela doçura que podem sempre estar em nossos caminhos. Muito emocionante, muito inspiradora.

Paula Quintão

31 de janeiro de 2016

 

assine_newsletterb

banner_novoeu

Author

Paula Quintão é escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU. "De passo em passo eu desvendo um mundo dentro e fora de mim".

  • Rico Oliveira

    Eu já sabia da história de Alessandra , mas a continuação desta história ficou ainda mais doce. Muito lindo saber de sonhos realizados e compartilhados. Obrigado Alessandra e muito obrigado, Doce Paula Quintão.

  • http://www.CristhianPlay.Com/ Elder Cristhian Formigoni

    História muito linda e inspiradora Paula!