Estava já em meus preparativos para a viagem a Londres. É a terceira vez que estou na cidade e dessa combinamos eu e minha filha de retornar para matar a saudade, rever lugares que amamos, andar pelas ruas que nos enchem de emoção.

Em meio a preparativos, era manhã quando eu senti de ministrar uma vivência de autoconhecimento na cidade. Passou por uma mim uma emoção grande que dizia algo como “faz uma das suas vivências em Londres”. E me enchi de entusiasmo imaginando como seria formar um grupo e entregar parte do que a vida trouxe de sabedorias, entregar minhas histórias, me conectar a essas pessoas.

No minuto seguinte, eu já estava pensando em uma lista de “e se…”, como poderia ser o local, se seria mesmo viável, se eu conseguiria mesmo formar o grupo. Foi preciso somente um instante para eu observar meu movimento interno, pude interromper a série de pensamentos e voltar minha atenção totalmente para o que eu sentia. E o que eu sentia era “fazer uma vivência de autoconhecimento em Londres”.

Intencionei ouvir, só isso. E como foi mágico. No mesmo momento comecei a criar uma arte para divulgar nas minhas redes sociais que a vivência aconteceria. Montando a arte, decidi qual seria a melhor data: manhã de domingo, primeiro dia na cidade, horário que minha filha estaria dormindo, se preparando para nossos passeios juntas.

Então assim será: montei a arte, postei nas minhas redes sociais e algo como 30 minutos depois já tinha 7 pessoas inscritas.

Parecia uma mágica acontecendo diante dos meus olhos. “De onde essas pessoas estão vindo?”… minha mente se perguntava. Mas para o meu coração era muito simples a resposta: estamos todos conectados. E de uma maneira ou de outro, encontramos uma forma de nos encontrarmos.

Hoje, manhã em Londres, meu sonho sonhado à sós se tornou um sonho sonhado juntas. Éramos um grupo de 11 brasileiras, corações receptivos, almas entregues à autodescoberta, e vivemos uma manhã mágica de encontros. Pra mim, a celebração de poder entregar e poder reunir pessoas graças ao meu trabalho, aos meus escritos, às minhas vivências. E para cada uma das minhas participantes mais queridas, uma história que nos conecta e uma nova história que agora as conecta. Portas que se abrem graças aos nossos encontros, graças aos nossos movimentos.

Essa história traz muitas lições pra mim sobre as conexões que criamos, sobre as providências divinas, sobre os portais que somos uns na vida dos outros. E me ensina muito sobre o poder da intuição.

Naquela manhã desinteressada que eu senti de fazer a vivência, minha intuição me mostrou um caminho e eu pude estar em estado de presença para sentir, ouvir e iniciar os movimentos de realização. Sei bem o quanto a intuição é capaz de nos levar para experiências mágicas, importantes e cheias de vida. Hoje foi assim. Uma resposta e mais uma confirmação. Simplesmente belíssima a manhã de sol de domingo em Londres, cada uma das belas mulheres que participaram, cada luz que recebemos juntas, cada aprendizado partilhado.

Emocionada e agradecida, sigo a vida em exploração, com todos os sentidos abertos para ouvir o que vem do grande sentido: a intuição.

Paula Quintão

13 de novembro de 2016


15000878_10154622852114019_4342028852884509448_o

 

assine_newsletterb

banner_novoeu

 

Autor

Paula Quintão segue a desvendar os mundos internos e externos. É escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Doutora em Sustentabilidade, montanhista, paraquedista e mergulhadora. Mãe da Clara. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU (2012) e O Caminho Que As Estrelas Me Viram Cruzar (2017). Escreve semanalmente dentro das temáticas autoconhecimento, escrita, transformação de vida e empreendedorismo em paulaquintao.com.br

  • Rico Oliveira

    Parabéns, Querida Paula. Sua mensagem toca os corações do MUNDO. Quem já td e o privilégio de vivenciar isso algumas vezes contigo, sabe o wusnto isdo é PRECIOSO. SUCESSO!