Nas atividades de trilha e pelas estradas que percorri, aprendi a valorizar imensamente os momentos de “meio do caminho”. Eles são um marco, um alento para nossa alma. “Você está no meio do caminho”… esse é um dito muito poderoso quando estamos em meio a uma jornada.

Sempre que o mês de junho chega é como se houvesse uma bandeira bem diante de mim com os dizeres… “você está no meio do caminho”.  É metade de 2015 que passou. E metade que está por vir. O que faz desse mês um típico momento de balanço.

É tempo de olhar pra trás com olhos de amor e enxergar o que 2015 trouxe até aqui, rever a lista de desejos que criamos na entrada do ano novo, e iluminar o coração para viver o que vem pela frente.

Como eu faço o meu balanço?

Quando temos uma lista de metas estabelecidas para o ano é sempre mais fácil, mas nem sempre estávamos no clima de criar essa lista quando o ano novo chegou.

De qualquer forma o importante é agir como se estivéssemos numa trilha que leva ao topo da montanha. Chegar ao meio do caminho é sempre uma bela conquista. É hora de sentar num cantinho confortável, uma dessas pedras perfeitas que encontramos pelo meio do caminho, e olhar os passos que demos até ali.

O que aconteceu ao longo de cada um dos meses?

Esses acontecimentos estão conectados com o que quero para minha vida?

O que não foi como esperávamos?

O que foi melhor que eu esperava?

Entrei em contato com novas experiências?

Estou valorizando cada um dos meus dias?

Crie suas próprias perguntas. O importante é que você enxergue o caminho trilhado até aqui, esteja bem desperto para cada uma das escolhas que fez e reveja qualquer “desvio da rota” que não agrade ao seu coração.

Você pode continuar se fazendo perguntas por um longo tempo. Não viva esse processo de balanço com pressa. Ele é importante para nos guiar em tudo o que vem pela frente.

Como estou olhando para cada um dos meus passos dados?

Fui coerente com os meus sonhos?

Estou me perdoando pelo que não consegui fazer acontecer?

Celebrei cada uma das conquistas?

Como estou lidando com minhas dores?

Estou aprendendo com cada uma das experiências?

Use seu momento de balanço para se perdoar de todos os passos que você deu e que não foram como você gostaria. Perdoe a você e a todas as pessoas que de alguma forma machucaram seu coração ou simplesmente pisaram em seu pé. Use também seu momento de balanço para exercitar sua gratidão e sua felicidade por estar vivo. Celebre por dentro.

Depois desse belo momento você está pronto para seguir. Está abastecido. Dê uma boa olhada no caminho que há pela frente. Permita-se refazer sua lista de metas, criar seu passo a passo para todos os novos dias que ainda estão pela frente.

Respire fundo e siga em frente…Muito fortalecido e cheio de entusiasmo. Boas vindas ao nosso mês de junho.

Paula Quintão.

Autor

Paula Quintão segue a desvendar os mundos internos e externos. É escritora & mentora de escritores, transição de vida e negócios digitais. Doutora em Sustentabilidade, montanhista, paraquedista e mergulhadora. Mãe da Clara. Criadora da Escola de Rumos, do Portal Coragem Para Empreender e da Editora Suban a Los Techos, autora do livro Para Sempre Um Novo EU (2012) e O Caminho Que As Estrelas Me Viram Cruzar (2017). Escreve semanalmente dentro das temáticas autoconhecimento, escrita, transformação de vida e empreendedorismo em paulaquintao.com.br