Autor

Paula Quintão

Browsing

Olhos de Páscoa, Olhos Renascidos

Domingo a Avenida Paulista fica fechada para ser uma rua de lazer, posso dizer uma rua que cabe o Brasil inteiro. Não sei bem como funciona para as pessoas que vão lá oferecer seus serviços, suas miçangas, suas músicas, suas performances, suas bancas. Fiquei pensando nisso enquanto eu caminhava entre o mundo de referências dessa manhã de páscoa e ouvia a banda tocar entre seus teclados, caixas de som, baixos e guitarras. Ou quando vi uma moça vendendo seus quadrinhos em um carrinho que mais parecia ter sido feito pelas mãos de seu próprio pai de tão lindo que era.

E entre uma e outra estação, quando resolvi descer para o Mirante da 9 de Julho, eu estava diante de um mágico e seu show em pleno asfalto. Ele mostrava seus truques, as pessoas aplaudiam quando eu fui chegando. Era a carta de baralho, era o anel dentro de várias sacolinhas, era a bolinha que se multiplicava nas mãos da criança.

Eu me encantei por estar ali, somos assim, não é? Humanos que andam distraídos e que num instante para o outro se encantam. Não havia nada específico em especial e era tudo lindamente especial. O olhar surpreso do menino de seus 3 ou 4 anos quando percebeu que de uma só bolinha agora haviam agora 3. O olhar e o sorriso sem graça da menina que em seus 8 ou 9 anos foi chamada para participar com seu anel, e seu olhar e sorriso revezavam entre o mágico, a mãe e o céu que parecia soar como um apoio a mais. O jeito desconfiado e animado do moço que em seus 20 e poucos anos apontou uma carta de baralho como opção para o mágico e voilá! Era a carta do baralho que estava marcada.

Observei as pessoas e me emocionei. Chorei por ver a mágica do instante nos reunir, nos fazer sorrir, nos fazer dizer em um só coro “óóóóóóó”.

Tão simples, tão profundo.

Foi um presente de páscoa, um presente que veio em combo à exposição do Saramago que fui ontem. O Saramago sempre a me lembrar da janela da alma, dos olhos e de ajustar a forma como estou enxergando.

Desde ontem, em minhas reflexões pré-páscoa, o que tenho sentido é muita alegria porque os olhos daqui estão enxergando diferente, estão regulados para outras percepções ultimamente e isso tem me feito um bem, pelo menos tem acalmado a alma, e isso vale muito nos dias de hoje. E quando os olhos podem ver diferente, é o mesmo que renascer. Para a páscoa, é o que desejo para mim, é o que desejo a você, caso sinta que é valioso: “olhos para ver além, olhos para ver cada vez um pouco mais”. Ou, como citação que abre um Ensaio Sobre a Cegueira, “Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara”.

Paula Quintão. 01 de abril de 2018

CORAGEM É UMA PULSÃO DE VIDA

Hoje amanheci querendo escrever algo a mais sobre a coragem e olhar para esse tema que nos últimos dias eu trouxe mais para a superfície em  meus vídeos e redes sociais, também para fazer uma ponte com o lançamento do Método Coragem Para Empreender.

Eis que durante o próprio domingo eu recebo esse comentário no meu linkedin. E me sensibilizo. Sensibilizo porque muitas vezes entendemos a coragem como a força que nos faz abrir mão de viver, dos nossos sonhos, das nossas verdades.

 

Deixar de falar, deixar de desejar, deixar de ser quem somos… não… isso não é coragem. Isso é o contrário, meu caro leitor, minha cara leitora. É na escolha de “vou viver”, de “vou me realizar” que o coração bate, que a vida acontece.

Meu convite é para que você faça suas reflexões sobre sua vida, sobre seu caminhar, sobre sua força de ser fiel ao que seu coração pede.

E volto a falar sobre o Método Coragem Para Empreender.

Esse é um Método sobre Coragem, sobre pegar as sementes que estão germinando dentro de nós – seja para um negócio ou seja para qualquer área de nossas vidas – e fazer com que elas ganhem solo, ganhem terreno, ganhem movimentos e ações. 

Essa semana passada eu até sugeri que você desse de presente ou indicasse o Método para alguém, e em casos de pessoas que QUEREM ajuda, que pedem por ajuda, um bom caminho é oferecer luz no final do túnel e ensinar o pescar o próprio peixe. Desenvolver coragem é uma forma de aprender a pescar, é o que te digo.

Até, até. 

Paula Quintão

CHUVA MACIA QUE RENOVA PARA SEGUIR. sobre março, as mudanças e o outono

Chegou março. Março tem um certo brilho no olho, ouço os ventos e ao mesmo tempo o som da melodia das águas de março que fecham o verão. Essas águas costumam me renovar do cansaço que vez ou outra sinto ao me ver sempre em tantos processos, tantas coisas acontecendo dentro e fora de mim.

Abrir o outono tem muita beleza. Por muitos anos eu vivi o outono duas vezes por ano. No Brasil no primeiro semestre e na Europa no segundo semestre. Era assim… meus movimentos me levavam ao outonal.

E o movimento de cair das folhas me encanta. O símbolo do permitir se esvaziar para então mais tarde florescer é muito mágico e guarda muitas sabedorias.

Um dos meus melhores amigos de Caminho de Santiago, o Frans, dizia que a morte que existe nas folhas secas é o que abre caminho para a vida dos brotos da primavera.

E não é um processo triste ou doloroso, pelo menos não precisa ser. A mudança pode vir suave, suave feito brisa outonal que chacoalha as árvores e ajuda gentilmente as folhas a deixarem os galhos. Pode ser macia feito chuva de verão, em que você se abraça, se acalenta e com muito amor no coração de permite dizer “vamos lá, vamos mudar hoje o que é possível mudar hoje”.

Me encanta então a chegada de março. As chuvas que fecham o verão. O amanhecer ensolarado que depois vira gotas de chuva na janela.

Me encanta a mudança de estação, dentro e fora de nós. Ela nos dá um descanso, demonstra fora o que podemos fazer dentro sem tanto cansaço, sem tanto desgaste.

Pra hoje, te desejo bons dias de final de verão, de renovação por aí.

E por aqui recebo as últimas 2 pessoas que completam o grupo Minha Guinada 2018 VERSÃO ONLINE.

Vamos juntas do outono à primavera, vamos juntas do deixar ir ao preencher com vida.

Será muito bonito, amoroso e transformador o que viveremos juntos.

O Minha Guinada esse ano tem um bônus imenso que é a Mentoria Contínua Para Negócios Digitais, que começa em maio e que tem valor de investimento de cerca de 2 ou 3mil reais. Um bônus que te dá ainda mais condições de criar as mudanças que precisam acontecer em sua vida.

…………….

Para mais detalhes sobre o Guinada, sobre as formas de pagamento, sobre nossa programação, me escreve ou manda mensagem no email paula@paulaquintao. com.br ou no whats 32 99920 2360 que oriento você.

Com todo carinho,

Paula Quintão

04. 03.2018

VIDA PROFISSIONAL E MUDANÇA DE VIDA. sobre iniciar grandes transformações

Eu morava em Manaus naquela época. Gosto da lembrança quando me vejo em meu carro presa no trânsito, coração um tanto acelerado me cobrando para chegar no horário sem atrasos para o turno da tarde, logo depois do almoço. Almoçar às pressas já tinha se consolidado para mim. Era assim e pronto.

Um engolir sem mastigar.

Eu e minha filha tínhamos tudo mais ou menos organizado para que a orquestra não tocasse nenhuma música diferente da prevista. Imprevistos não eram bem-vindos, imprevistos me atrasavam. Quando imprevistos passam a significar atrasos é bom ligar um alerta, hoje eu vejo. Porque a vida é de imprevistos, a magia da vida está em se abrir para o inesperado e recebê-lo de bom grado. Mas eu não podia, tinha um horário a cumprir.

E meu trabalho, naquela época de tantos descontentamentos, se baseava não só em oferecer meus serviços, meus conhecimentos, minhas habilidades de gestão, de criação, de produção, minhas funções incluíam também cumprir os horários, o cartão de ponto, o uniforme, não só meu, mas de toda a equipe que eu gerenciava. E eu me abatia em ver pessoas incríveis, que trabalhavam divinamente, receberem um desconto no final do mês em seus salários porque “faltou hora no banco de horas”. O meu emocional não conseguia se adaptar. Foram dias de ansiedade, foram semanas de inquietude, foram meses de entristecimento. Dias, semanas e meses que viraram ano inteiro. E eu me via perdendo minha alegria.

Na verdade eu via minha alegria indo e vindo, como ondas do mar, só que mais ondas de tristeza do que de alegria. As ondas de final de semana eram felizes, começavam na sexta de manhã e terminavam domingo à tarde. Minha liberdade condicional de final de semana, eu brincava.

O que eu não me dava conta é que com meu bem mais precioso, o tempo, eu estava a viver uma relação não muito harmônica. Por dias eu queria que ele passasse rápido, por outros dias eu queria que ele passasse lento. Dentro de mim, uma pane estava a se anunciar.

E então uma grande mudança consciente começou na minha vida. Eu comecei a me perguntar qual caminho me faria viver uma vida diferente daquela, de almoços apressados, de pontos e horários apertados, de trânsito ansioso, de sensação de impotência, de apressar o tempo. As perguntas movem um mundo, e o meu pouco a pouco se movia, mesmo que meus olhos não enxergassem.

Mais de um ano depois de eu começar a me fazer minhas perguntas, as respostas começaram a chegar. Elas tinham a ver com montar meu próprio negócio, oferecer meus cursos, minhas consultorias, minhas mentorias. Naquele momento tudo ainda bem embaçado, tudo ainda bem nublado. Eu não sabia tantas e tantas coisas sobre o caminho que trilharia, mas eu sabia que era aquele caminho. Não sabia como, mas sabia que era por ali que deveria seguir.

E eu segui. E sei que foi graças a cuidar de transformar minha vida profissional, que naquele momento era a área da vida que mais me incomodava e me fazia perder energia, que eu transformei todas as outras áreas da minha vida. Sigo a transformar, é bem verdade. Mas a partir do momento em que pude colocar minha vida profissional nos eixos, ela que era a mais fora do lugar de todas, eu pude me sentir mais leve, com uma rotina mais flexível, vivendo mais o que acredito e podendo ser guiada todo o tempo pelo que meu coração chama.

Paula Quintão

25 de fevereiro de 2018

ENCANTADA. Mudanças Para Transformar.

Esses dias têm sido de chá e não de café. Porque tem vezes que é preciso fazer mudanças, fazer ajustes, pegar aquele saber que está guardado e colocar na mesa, colocar na xícara, colocar sob o sol. Eu soube que estava com pressão alta durante o carnaval. E eu soube que café piorava. Como soube sobre o sal, sobre a atividade física, sobre o beber água. E não adianta só saber e não fazer. Adianta mesmo é a mudança, é preencher a xícara do mais delicioso chá de hibisco, cavalinha e hortelã – porque Esteban Andrejuk , eu sei que era também pra ter equinácia, mas ainda não encontrei. E me faz feliz a mudança, me faz feliz ver a pressão normal de novo, me faz bem e floresce minha alma a capacidade de me transformar. .:. E foi assim… transformação das grandes bem em época de lançamento do Programa de Mentoria Minha Guinada. Belas chaves desvendadas. Para mais detalhes do Programa, clique aqui. .:.