De #1 a #40. OS LIVROS QUE LI EM 2013

Se há algo que amo são livros. Amo o que encontro dentro deles e como esses achados se esparramam para a minha vida.

Em 2013 minha meta de leitura é de 40 livros.

Digamos que tive um pequeno incidente pelo caminho e ele se chama “smartphone”. Pode acreditar, meu querido leitor, um smartphone pode distanciá-lo incrivelmente do que é realmente essencial na sua vida. Você precisa de muito foco para auxiliar o essencial na concorrência com a tela mágica e hipnotizante do seu celular inteligente.

Eu fiquei praticamente 6 meses do meu ano anestesiada pela tela antes de dormir. Ao invés de pegar meu companheiro fiel livro, eu clicava compulsivamente na tela do meu aparelho.

Definitivamente eu não teria o menor orgulho de terminar o ano e fazer um especial “De #1 a #1000, as horas que passei mexendo no meu celular”.

Quando percebi, em julho, que deveria ter lido pelo menos uns 20 livros para ficar equilibrado, tinha lido somente QUATRO. Fico realmente feliz por ter despertado naquele momento, mas digamos que minha agenda de leituras ficou um tanto apertada depois dali. =))

Parece difícil ler 40 livros em um ano, mas não é se você for aumentando progressivamente as suas metas.

Há muitos anos, talvez pelos idos de 1999, li que o bom era lermos pelo menos 6 livros por ano. Naquele ano eu li os 6. No ano seguinte alguns a mais. E no outro, mais alguns. Ano passado foram 39 e para esse fiz um acordo comigo mesma de ler os 40 livros.

Você pode fazer também isso: determine quantos livros podem ser lidos ano que vem e estabeleça sua meta. Há um mundo incrível a ser descoberto, inclusive um mundo que diz muito sobre sua força de vontade.

E fico realmente feliz por isso.

Cada livro consegue acrescentar algo ao meu olhar e limpar outras tantas coisas. Assim eu começo a enxergar minha vida de muitas outras perspectivas e tudo fica mais rico, mais cheio de cores. Os livros, além de serem companhias incríveis, são bagagens de conhecimento que enchem a melhor mochila que podemos carregar na vida. A mochila de conhecimento.

Jornada de #1 a #40 livros

Que maravilha quando cumprimos as metas que estabelecemos para nós mesmos, não é? Pois ainda bem que eu tornei essa meta pública e fiz questão de divulgá-la aos quatro ventos. Simplesmente o final de ano me consumiu e eu praticamente morri na praia. Mas posso bater o sino e comemorar a meta cumprida. Além de cumpri-la, ainda fazer o prometido: postar um a um os comentários sobre os 40 livros que li em 2013.

Vocês podem observar que a partir de julho eu praticamente disparei nas leituras porque percebi que minha meta estava correndo o risco de não ser cumprida.

Nos primeiros seis (!) meses do ano eu me distanciei do foco e dei prioridade a outras coisas menos importantes que os livros, por exemplo, deitar e ficar mexendo no meu facebook ou então verificando compulsivamente meu email.

Uma boa lição, tão boa quanto aquelas que recebi nas páginas de todos os livros, é que temos que manter o foco em nossos propósitos. Sem esse foco podemos nos distanciar do que é mais essencial para nós.

Com vocês, os 40 escolhidos de 2013

#1. Cartas a um jovem poeta. Rilke. (término da leitura em 20/02)

Esse autor tem vários livros rápidos com pequenos textos fáceis e até inspiradores, mas eu não gosto muito dele.

Sempre tenho a sensação que o Allan deixa a desejar e que faz livros só para vender aos montes. Sua fórmula é mesmo daquelas que ajuda a vender aos montes e até acho que você pode gostar desse livro. Mas já saiba que é um mamão com açucar, desses que a gente lê quando a mente está cansada e queremos um descanso.

Vale para descansar a mente.

#2. Sou um desastre com as mulheres. Justin Halpern (término da leitura em 10/03)

Há livros que são como aperitivos, não matam sua fome mas divertem bastante. Esse é um deles e fiz questão de comprar porque o autor me ganhou no seu primeiro livro, o “Meu pai fala cada M*rda”, que em sua nova edição até ganhou um novo título ‘Meu pai fala cada uma” e virou série de TV.

Sem dúvida o primeiro título é muito mais hilário que esse ‘Sou um desastre com as mulheres”, mas ainda assim o autor nos arranca boas risadas graças ao humor perspicaz do seu pai.

Alguns trechinhos do pai:
Sobre o primeiro dia no jardim de infância
“Você achou difícil? Se o jardim de infância foi difícil para você, tenho más notícias sobre o resto da sua vida”.

Sobre fazer silêncio
“Só quero um pouco de silêncio… Meu Deus, isso não significa que não gosto de você! Significa apenas que neste momento gosto mais de silêncio”.

Valeu pra rir.

 

#3. O apanhador no campo de centeio. J.D. Salinger. (término da leitura em 04/04)

Holden Caulfield é um desses personagens que entram na sua vida e você não quer mais largar. A perspicácia dos pensamentos e raciocínios desse garoto de 17 anos é uma graça. Totalmente sem paciência com todos e tudo, Holden carrega filosofias de vida que nos abrem os horizontes.

Sua rabugice consegue nos fazer rir de nós mesmos. Passe uns dias na mente de Holden e você consegue se olhar de outro jeito, olhar para o que você faz de outra maneira. Nada melhor.

Valeu para ver o mundo pelos olhos de Holden.

 

#4. O poder do hábito. Charles Duhigg. (término da leitura em 29/06)

Esse livro rende MUITO aprendizado. Simplesmente imperdível. Pode ler. Com esse livro eu incrementei meus cursos, modifiquei muitos dos meus hábitos, me atentei para padrões de comportamento humano que antes eu não percebia e principalmente me abri para a aceitação de que podemos treinar o que quisermos em nós.

O autor é um pesquisador voraz e traz muitos e muitos exemplos interessantes sobre como os hábitos estão imbutidos na nossa vida e sequer percebermos. Ele consegue abrir nossos olhos.

“Se você acredita que pode mudar – se faz disso um hábito -, a mudança se torna real. Este é o verdadeiro poder do hábito: a revelação de que seus hábitos são o que você escolhe que eles sejam.” (O poder do hábito)

Um dos textos que escrevi inspirada pelas primeiras páginas do livro foi esse:
http://blogequipar.com/2013/04/13/o-despertar-pelo-novo/

Valeu por ampliar autoconsciência do que faço no dia a dia

#5. Subliminar. Leonard Mlodinow. (término da leitura em 05/07)

Sou fã do Leonard Mlodinow. Nos outros anos tive o prazer de ler “o Andar do Bêbado”, que fala sobre as obras do acaso na nossa vida e é um verdadeiro manifesto à persistência; e “O plano perfeito”, que ele escreve com o físico Stephen Hawking, e apesar do cetismo religioso nos deixa com a pergunta: como o planeta terra pode estar milimetricamente tão bem posicionado no universo?

SUBLIMINAR é um desses livros que você ganha um novo conhecimento a cada página. O autor recheia seus capítulos com muitas e muitas pesquisas e para quem leu “O poder do hábito” esse livro cai como uma luva como leitura complementar.

Entre os muitos aprendizados está um que acho fantástico. Numa pesquisa com dois grupos de opiniões divergentes fizeram a seguinte experiência. Numa sala estavam todos que eram CONTRA a situação. Na outra sala estava todos que eram A FAVOR. Então a dinâmica seria que um do grupo dos “contra” iria até a outra sala e faria uma pequena defesa de seu ponto de vista. O mesmo aconteceria com o outro grupo: alguém do grupo “a favor” iria até a outra sala falar sobre seus argumentos para o grupo “contra”. Conclusão: ao invés de os grupos ficarem mais receptivos ao outro ponto de vista por causa da argumentação feita, ocorreu o contrário, ficaram ainda mais presos em suas próprias opiniões.
Essa descoberta é o máximo pois podemos perceber que há muito mais que razões e bons argumentos por trás de nossos posicionamentos e pontos de vista, e uma vez que nos posicionamos contra ou a favor de algo tendemos a fechar nossos olhos e ouvidos para o que vem da outra parte a fim de manter “a razão” e ganhar “a batalha”.
Digno de muitas reflexões.

Valeu por me fazer perceber que por trás de tudo o que fazemos há um inconsciente que influencia nossas vidas

 

#6. O segredo de Luísa. Fernando Dolabella. (término da leitura em 11/07)

O Dolabela tem seus méritos nesse livro por nos fazer pensar em nossos sonhos e na possibilidade de torná-los realidade.

Foi meu pai que caminhou com esse livro debaixo do braço por muitos anos, por isso me animei de ler. A personagem do livro é uma típica garota que sonha alto e a família nem os amigos apóiam, mas ela segue em frente e investe no seu sonho empreendedor.

O livro é um manual para o empreendedor, mas em forma de história. Por isso mesmo é leve.

Valeu por eu fazer a leitura de algo que meu pai sempre gostou de ler.

#7. Procura-se super heróis. Bel Pesce (término da leitura em 18/07)

Olha quem chegou por aqui: a Bel Pesce! Simplesmente adoro a história da autora, que é uma dessas desavisadas sobre possível e impossível e sai pelo mundo conquistando mil coisas.

O livro é bem simples e você lê em poucas horas. É bem docinho e tem passagens inspiradoras. A simplicidade realmente abre portas e não é à toa que a Bel é bestseller.

“Criar desafios cada vez mais ambiciosos, mesmo que eles aumentem a sua dificuldade pouco a pouco, pode fazer milagres com o nosso referencial”. É exatamente o que sinto sobre minha meta de leituras!

Vale a pena para entender com a simplicidade pode abrir mil portas.

#8. Startup de $100. Chris Guillebeau. (término da leitura em 25/07)

Arrá! Não via a hora de chegar o momento desse livro!
Quer conhecer um cara sagaz para negócios na internet. Pronto. Está apresentando à Chris Guillebeau. Ele é simplesmente “the best”.

Se você tem uma veia empreendedora e já teve a ótima ideia de usar a internet a favor dos seus business, sinta-se feliz ao receber essa indicação.

Chris arrasa. Pode ler o livro que está entre os top 5 desse ano.

Vale a pena para acreditar que tudo é possível quando se tem uma boa conexão de internet.

 

#9. Tudo é possível. Alan Percy (término da leitura em 27/07)

Esse autor tem vários livros rápidos com pequenos textos fáceis e até inspiradores, mas eu não gosto muito dele.

Sempre tenho a sensação que o Allan deixa a desejar e que faz livros só para vender aos montes. Sua fórmula é mesmo daquelas que ajuda a vender aos montes e até acho que você pode gostar desse livro. Mas já saiba que é um mamão com açucar, desses que a gente lê quando a mente está cansada e queremos um descanso.

Vale para descansar a mente.

#10. Comprometida. Elizabeth Gilbert (término da leitura em 01/08)

A Gilbert ganhou meu coração nas páginas do livro “Comer, Rezar, Amar”, mas o Comprometida, apesar de ter seu charme, não me encantou como o primeiro livro que li dela. Inclusive eu comecei a ler no final de 2012 e fui terminar só agora, em agosto de 2013.

#11. Renovação. Tenório Telles (término da leitura em 05/08)

O editor do meu livro “Para sempre um novo EU” foi o Tenório Telles. Foi lindo o dia em que ele me recebeu, ficou com meus originais e uma semana depois me deu um feedback sobre meus escritos. Sou apaixonada pelo Tenório e por tudo o que ele representa em minha história. Tive o prazer de ir no lançamento do livro “Renovação” e nas páginas desse livro encontrar a filosofia que é a mesma que está em meu livro “somos seres em constante crescimento, em constante renovação”. Definitivamente somos “Para sempre um novo EU”.

#12. Reinvente sua empresa.  Jason Fried e David Heinemeier Hansson. (término da leitura em 07/08)

Formas inovadores de enxergar os negócios são as que  mais precisamos para o momento que vivemos. Esse livro é um desses que são leves e fáceis de ler, desses que temos vontade de encontrar seus autores e agradecer pelos escritos. Se você quer ou não montar um negócio, esse é um livro libertador de qualquer forma.

#13. Vitaminas filosóficas. Theo Roos. (término da leitura em 15/08)

Juntei alguns livros que não me agradavam mais na minha estante e fui até a feira de domingo trocar no sebo. E dentre as trocas tive a sorte de receber as “Vitaminas Filosóficas” do Theo Roos. Vivendo conceitos de filósofos em filósofos terminamos o livro e nos sentimos abastecidos.

 

#14. Supercérebro.  Deepak Chopra e Rudolph E. Tanzi. (término da leitura em 27/08)

Descobertas fantásticas da ciência que todos deveríamos saber. (até acho que invés da Rede Globo apresentar essa retrospectiva horrível e extremamente sangrenta que estou ouvindo ao fundo do meu trabalho deveria fazer uma bela apresentação sobre esse livro). Você acha que sua memória vai se perdendo com a idade? Pois descubra nessas páginas que não. Memória é movida à exercício e mantê-la ativa é a melhor forma de aperfeiçoá-la.

#15. O encantador de montanhas. Eduardo Moreira. (término da leitura em 27/08)

Para ler numa tacada antes de dormir. O encantador Eduardo Moreira é mesmo uma graça e merece destaque nessa lista.

A beleza do livro está na simplicidade da mensagem. Nada pode ser mais simples que contar histórias com o coração.

Uma pequena citação para você “Por mais escuro que seja um quarto e por menor que seja a chama, ele sempre iluminará o que estiver ao seu redor”

 

#16. Os embaixadores da luz. Jasmuheen. (término da leitura em 31/08)

Quando encontrei os primeiros textos sobre o “viver de luz” fiquei completamente alucinada pelo assunto e acho incrível a possibilidade de termos outras fontes de obtenção de energia. Geralmente o assunto é motivo de chacota e realmente acho mais positivo me abrir para entender o desconhecido do que negá-lo só porque não compreendo. Quero com todas as minhas forças testar eu mesma as teorias desse livro. E é claro que contarei para vocês essas experiências assim que avançar nelas.

#17. Os segredos da mente milionária. T. Harv Eker. (término da leitura em 02/09)

Quer pensar grande? Aqui está a ferramenta.

#18. A menina do Vale. Bel Pesce (término da leitura em 10/09)

Simplicidade nos ganha sempre. A Bel Pesce é simples.

#19. As consequências da modernidade. Giddens. (término da leitura em 18/09)

A aceleração do tempo e a percepção de que as mudanças acontecem num ritmo frenético são consequências da modernidade que estamos inseridos. Li esse livro para uma disciplina que cursei no doutorado e ele me trouxe percepções bem válidas para entender a vida ao meu redor.

#20. Psicologia Ambiental. Fischer. (término da leitura em 21/09)

Nem sempre o doutorado nos traz livros muito agradáveis para ler. A psicologia ambiental tem coisas bem interessantes, mas não é a vibe do meu momento.

#21. O espelho mágico. José Ângelo Gaiarsa.  (término da leitura em 28/09)

Há alguns anos o Gaiarsa ganhou meu coração e tudo o que leio e assisto dele me agrada. Nesse livro de poucas páginas ele nos diz que amamos nos olhar, mas nos olhamos muito pouco. Os outros nos veem mais do que nós mesmos e tudo o que tentamos esconder na verdade transparece diante dos olhos dos outros com facilidade. Estamos sempre presos dentro de uma couraça muscular do caráter, é o que ele sempre diz, e a libertação está em viver com liberdade e espontaneidade. Uma missão quase impossível diante de tantas exigências sociais. Acho esse livro ótimo para quem está exercitando sua oratória, nos liberta de muitas amarras.

#22.Geração de Modelos Inovadores. Model Canvas. (término da leitura em 10/10)

Quer elaborar um excelente modelo de negócios pensando em inovação? Aqui está uma ferramenta para você. Além de trabalhar com excelentes ideias os autores ainda nos oferecem gráficos e imagens inspiradoras para visualizarmos com mais facilidade como tudo funciona.

 

#23. Libertando o poder criativo. Ken Robinson. (término da leitura em 10/10)

Conheci o Ken Robinson assistindo a um vídeo excelente no youtube. Sua mentalidade sobre a educação é sensacional e merece chegar a mais e mais pessoas. Assista também e entenda o poder de argumentação desse autor que tem uma das visões mais incríveis para a educação moderna.

[video_player type=”youtube” width=”640″ height=”360″ align=”center” margin_top=”0″ margin_bottom=”20″]aHR0cDovL3d3dy55b3V0dWJlLmNvbS93YXRjaD92PURBMGVMRXdObUFz[/video_player]

#24. Quem pensa enriquece. Napoleon Hill.  (término da leitura em 13/10)

Napoleon Hill nos abastece com ferramentas fundamentais nesse livro para tomarmos o rumo de nossa vida profissional, pessoal, emocional e espiritual fazendo-as convergir num só propósito: tornar nossa vida plena. O argumento do enriquecimento é só um pano de fundo para que o autor nos ofereça as ferramentas necessárias para nos libertamos de pensamentos derrotistas e adotarmos uma mentalidade que nos leva rumo à prosperidade, não aquela que gera riqueza, mas aquela que nos permite viver todas as possibilidades desejadas.

#25. Startup weekend. Marc Nager, Clint Nelsen, Franck Nouyrigat. (término da leitura em 26/10)

Um livro sobre Startup que recebi indicação para leitura mas que não gostei. Há outros que me alegraram mais do que esse.

#26. Quem vende enriquece. Napoleon Hill.  (término da leitura em 26/10)

Fiz questão de ler esse livro do Napoleon Hill depois que terminei de ler o “Quem pensa enriquece”. É um complemento aos argumentos desenvolvidos no outro livro.

#27. A arte da não conformidade. Chris Guillebeau. (término da leitura em 15/11)

Chris é fenomenal. Já falei isso, não é? A arte da não conformidade é um verdadeiro manifesto que nos convida para viver uma vida mais livre, com menos limites, uma vida plena que pode ser alcançada por atitudes muito simples. Chris é a prova viva de que uma vida assim é possível. Adoro e indico demais esse livro.

#28. Há prendisajens com o xão. Ondjaki (término da leitura em 19/11)

Quer poesia como a do Manoel de Barros? Nesse belo livrinho amarelo você encontra algumas belezas do chão. Leia numa desinteressada tarde de domingo e ganhe seu dia.

#29. O método. Phil Stutz e Barry Michels. (término da leitura em 21/11)

Quer ferramentas para se livrar de alguns fatores limitadores em sua vida? Quer ferramentas para curar algumas de suas feridas e seus pensamentos negativos? Aqui você vai encontrar. Uma ótima ferramenta que estou usando mesmo é o ciclo da gratidão. Toda vez que você entrar num labirinto de pensamentos negativos ou prejudiciais, pensamentos ruins, você inicia uma lista de itens pelos quais tem gratidão. Comece a agradecer por tudo o que você tem, começando pelas coisas mais simples e essenciais, como sua visão, seu olfato, sua saúde, sua facilidade de sentir odores e gostos. Agradeça e você estará livre de pensamentos negativos. No livro você encontra outras ótimas ferramentas.

#30. O mundo amarelo. Albert Espinosa. (término da leitura em 23/11)

Ganhei de presente do maridão  no dia do meu aniversário e foi, disparado, meu livro preferido esse ano. O  mundo amarelo é simplesmente encantador. Encantador. Encantador. Não acho justo resumi-lo. Leia em 2014.

 

#31. Singular. Valdir Bündchen e Jacob Petry. (término da leitura em 04/12)

Ganhei de presente do maridão e ele acertou em cheio, uma vez mais. Singular é um livro que nos mostra o quanto nossas características mais únicas, aquelas que às vezes queremos esconder por serem “estranhas” ou “esquisitas”, são as características mais valiosas que temos. O livro é uma fonte de fortalecimento para aqueles que estão investindo em seu autoconhecimento e em seu fortalecimento pessoal e profissional.

Uma das coisas interessantes que o livro me ensinou é que a inteligência não tem importância nenhuma se não tivermos uma mentalidade propícia para o crescimento. Mais importante que a inteligência é a mentalidade que adotamos diante da vida.

#32. Praticando o poder do agora. Eckhart Tolle. (término da leitura em 12/12)

Ainda não li “O poder do agora”, que comprei e será leitura do próximo ano. Mas conheço as filosofias do Eckhart Tolle e são filosofias que pratico há alguns anos. Vivenciar o agora é a maior habilidade que podemos desenvolver. Esse livro nos enche com ferramentas para aperfeiçoar nossa vivência do presente. Simples e precioso.

#33. Escolha sua vida. Paula Abreu. (término da leitura em 19/12)

Quando conhecemos o autor do livro que estamos lendo a aventura da leitura é ainda maior. Conheci a Paula Abreu pela internet, lendo seu adorável blog “Escolha sua Vida” num momento em que eu estava prestes a dar meus passos rumo à minha liberdade profissional. Ela foi como uma “parteira de almas”, como já dizem. Agora, no final do ano, concretizou-se seu livro lançado pela editora Sextante e foi uma experiência linda ver toda sua trajetória de conquistas, de vibrações positivas e encontrar seu livro materializado nas livrarias por onde passo. Para mim é uma inspiração a história da Paula Abreu. Escolha sua Vida é um desses livros que você adora dar de presente pelo poder de transformação que tem na vida de cada um.

(inclusive na minha seleção de fotos ele nem aparece porque antes mesmo de fotografá-lo eu já dei de presente)

#34. Roube como um artista. Austin Kleon (término da leitura em 20/12)

Uma graça esse livro, simplesmente adorável. Austin Kleon desenvolve o argumento de que a originalidade é um plágio não detectado. Para ele, tudo o que é criado não é original, e sim originado de algo que já foi criado por alguém. Concordo em todos os sentidos: tudo o que construímos vem da base do que já temos em mente. E vou além: quanto mais enchermos nossas bagagens de conhecimento, mais poder criativo temos. Pode ler que você vai adorar o livro!

#35. O maior vendedor do mundo. Og Mandino. (término da leitura em 20/12)

Um livro que sempre rondou pela minha vista mas que nunca dei muito valor. Escolhi como uma das leituras para fechar os 40 livros e achei uma graça. O livro nos conquista pela simplicidade e pela leveza dos valores que ele passa. Uma das boas lições que carrego é a filosofia de que uma vez que estamos determinados a vencer, perder não é uma opção.

#36. A gramática expositiva do chão. Manoel de Barros. (término da leitura em 21/12)

Minhas últimas leituras do ano que já se termina eu dediquei ao Manoel de Barros. Fui à livraria buscando alguns livros para completar as leituras do ano e encontrei a biblioteca completa do Manoel. Não poderia haver achado melhor. Não pensei duas vezes, fiz da biblioteca meu presente de natal. Para essa época do ano de tantas pressas, tantas ansiedades, tantas compras e tantas importâncias, nada melhor que abrir as portas da minha vida para aquele que preza mais passarinhos que aviões, que vê encanto no que há de mais desimportante. Manoel tem meu coração e fechou meu ano com asas de borboletas e ares que vêm do chão.

#37.  Matéria de poesia. Manoel de Barros. (término da leitura em 23/12)

A cada página, uma matéria para se fazer poesia. A cada página, um ingrediente para mudar os olhos para olhos mais poéticos. Manoel tem esses dons de mudar a visão e a vida da gente.

#38. O livro das ignorãnças. Manoel de Barros. (término em 24/12)

Uma das minhas preferidas estão aqui nessas páginas:

“O rio que fazia uma volta atrás de nossa casa era a imagem de um vidro mole que fazia uma volta atrás de casa.

Passou um homem depois e disse: Essa volta que o rio faz por trás de sua casa se chama enseada.

Não era mais a imagem de uma cobra de vidro que fazia uma volta atrás de casa.

Era uma enseada.

Acho que o nome empobreceu a imagem”

#39. Retrato do artista quando coisa. Manoel de Barros. (término da leitura em 26/12)

Um fragmento para adoçar você…

“É um olhar para baixo que nasci tendo.

É um olhar para o ser menor, para o insignificante que eu me criei tendo.

O ser que na sociedade é chutado como uma barata – cresce de importância para o meu olho” (p.17)

#40. Ensaios fotográficos. (término da leitura em 27/12)

Uns escritos desse livro para vocês…

“Não precisei de ler São Paulo, Santo Agostinho, São Jerônimo, nem Tomás de Aquino, nem São Francisco de Assis – Para chegar a Deus. Formigas me mostraram Ele. (Eu tenho doutorado em formigas.)”

Ainda não li todos os livros da caixa, ano que vem pegarei mais deles para me abastecer com poesia, com leveza, com novos olhares, com alegria por haver ao meu redor tantas desimportâncias.

O que é imperdível e você deve ler. TOP 10

Dessa lista de 40 livros, os que você não pode passar a vida sem ler são esses:

#1. Cartas a um jovem poeta. Rilke

#3. O apanhador no campo de centeio. J.D. Salinger.

#4. O poder do hábito. Charles Duhigg.

#8. Startup de $100. Chris Guillebeau

#17. Os segredos da mente milionária. T. Harv Eker.

#24. Quem pensa enriquece. Napoleon Hill.

#27. A arte da não conformidade. Chris Guillebeau. (que ganhou outro título pela editora Saraiva, agora se chama “O poder dos inquietos”)

#30. O mundo amarelo. Albert Espinosa

#33. Escolha sua vida. Paula Abreu.

#34. Roube como um artista. Austin Kleon

E qualquer um do Manoel de Barros.

Depois de uma lista como essas, não há motivo para você ficar sem inspiração. É hora de encher as bagagens com conhecimento de valor.

 

 

 

2 comentários

Deixe um comentário