O CAMINHO CERTO (E A DIFICULDADE DE FAZER ESCOLHAS)

Alguns leitores tão queridos vez ou outra me escrevem questionando se estão no caminho certo. E eu sempre adoro responder esse tipo de pergunta. É inclusive um questionamento que cai lindamente a qualquer momento, pois se perguntar sobre os seus rumos é uma das melhores formas de se manter conectado a você e a seus propósitos maiores.

Vocês sabem e eu amo repetir: não acredito em erro. Para mim nada é ‘errar”, é tudo uma questão de escolha. Por isso mesmo, no meu mundo não existe erro, não existe arrependimento e não existe derrota. Não estou em busca de disputas, nem em busca de ter razão, ou em busca de acertos para ganhar mais pontos. Estou em busca de viver as experiências integralmente, aprendendo dia após dia e caminhando com foco no que considero essencial para minha vida. Esse é o caminho que EU, a Paula, escolheu.

Quando não acredito no “erro” passo a acreditar também que não há caminho errado, mas sei que há caminhos que trazem menos felicidade porque são caminhos desconectados de nossa essência. Somos seres projetados para sermos felizes e a felicidade está onde a essência está.

Quando enfrentamos algum momento de tristeza, de dor, podem perceber… nossa mente trabalha de maneira extremamente dedicada buscando uma solução. Não é à toa que esses momentos são sempre de muito crescimento e trazem lições muito fortes para serem vividas por nós e para serem compartilhadas. Entramos em alerta para retornar ao sentimento de bem estar e felicidade.

caminho

Nosso estado essencial é a felicidade. Não a felicidade explosiva, nem a felicidade imediatista (geralmente bem relacionada ao consumismo). Somos essencialmente ligados àquela felicidade de paz e de consciência de que sua vida é um milagre constante.

Mas como saber se o caminho que estamos seguindo é o caminho que nos leva à nossa essência? Não há nada que indique melhor se estamos no caminho certo que o nosso estado de espírito ao caminhar. No caminho não há placas indicando SIM, VOCÊ ESTÁ NO CAMINHO CERTO, essas placas estão dentro de você e são medidas pelo seu grau de felicidade.

Não olhe para o destino, olhe para o seu passo. Olhe para o seu ato de SEMEAR. É na semeadura que deve estar nossa maior satisfação.

O que você está semeando te faz feliz? Te traz aconchego? Te faz ver o mundo iluminado? Te faz sorrir? É leve?

O tempo da colheita é o tempo do universo, é o tempo de Deus. O tempo da semeadura é o seu tempo, é sobre esse tempo que temos domínio. Encha as mãos com boas sementes e encha a alma de felicidade, pois os frutos vindos dessa combinação são sempre bem macios e doces.

E então? Você está no caminho certo?

Ouça com amor o que a sua alma está dizendo e mude os rumos se for necessário. Você cria o seu mundo.

 

assine_newsletterb

banner_novoeu

2 comentários

Deixe um comentário