O IMPOSSÍVEL É SÓ UM LIMITE DA MENTE

Sempre gostei muito de uma citação que nunca encontrei o autor “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez”. E até quis colocar como a citação do meu livro de formatura da faculdade. Não que eu achasse que formar na faculdade fosse impossível, mas porque eu queria celebrar meu momento de transição, aquele em que simbolicamente eu estava me lançando no mercado e no mundo de maneira independente.

A sensação do “impossível” nem sempre é consciente. Não costumamos dizer explicitamente para nós mesmo “isso é impossível”.

Se eu te perguntar agora mesmo se você pode dar a volta ao mundo e conhecer todos os países, você vai dizer que pode ou não?

E se eu te perguntar se você pode ter uma grande ideia e transformá-la em um negócio milionário, você pode ou não?

E se eu perguntar se você pode mudar da casa onde está, deixar todos os seus pertences, encher somente uma mochila, e ainda assim ser feliz, você pode ou não pode?

Para todas essas perguntas, o único limitador que faz você responder “não posso” ou “isso é impossível” é o estado da sua mente.

Quando fui pela primeira vez ao Monte Roraima eu sabia que viveria os próximos 8 dias sem acesso a energia elétrica, sem um banheiro para chamar de meu e sem uma cama. E quando eu vi aquela montanha bem diante dos meus olhos parecia totalmente improvável que meus pés pudessem me levar ao seu topo sem que eu morresse de desgaste físico pelo caminho.

Foi bem esse pensamento que eu tive quando o 4×4 deixou o grupo da expedição frente a frente com a montanha. Naquele momento eu percebi que o melhor que eu poderia fazer era me concentrar no meu passo, esse eu sabia que era possível.

O que nos faz paralisar e não transformar em realidade o que sonhamos, as boas ideias que temos e o que pensamos é nosso medo de ser impossível para nós. Medo de dar errado, medo de as coisas desandarem, medo de não sair como planejado, medo de ser julgado pelos outros, medo de qualquer coisa que seja diferente de tornar possível.

Mas esses medos são os grandes responsáveis por fazer toda a coisa sair do eixo, porque quando estamos focados no medo, perdemos a força para transformar o que tanto queremos em realidade.

O impossível é só uma falta de referência do que é possível.

Quando eu fui dando um passo após o outro e consegui chegar no topo do Monte Roraima, minha mente simplesmente ganhou um novo referencial. Ela passou a acreditar que eu conseguiria chegar a qualquer topo que eu quisesse. E não necessariamente é preciso subir uma montanha para que sua mente ganhe outras referências.

Uma simples caminhada na praia me fez refletir por horas sobre a relação do possível e do impossível em nossas vidas.

Estava em Maragogi, uma aconchegante e simples cidade do interior do Alagoas que tem as praias mais lindas que já vi. Naquela noite eu não tinha dormido muito bem e às 5h eu já esperava amanhecer para sair para a praia e meditar um pouco. O hotel ficava de frente para o mar, então pude sair sem chinelo, só com meu lenço e o iphone para fotografar se eu quisesse.

Poderia me sentar na areia e meditar por duas horas, despreocupada com qualquer horário ou compromisso, mas o mar me chamou tanta atenção que não resiste e fui caminhar molhando os pés. A maré naquele dia estava especialmente baixa e causava um efeito incrível nas águas do mar.

Se no dia anterior alguém me perguntasse se era possível caminhar mais de 10 metros mar adentro eu diria que era “impossível”, mas só diria isso porque minha mente não tinha referências suficientes ainda para acreditar eu poderia sim percorrer longas distâncias com a água ainda na canela, sem sequer molhar meu short ou meu lenço que geralmente se estende até meu joelho.

Parecia um verdadeiro milagre, como “andar sobre as águas”. Parecia um verdadeiro feito em que a natureza me mostrava que qualquer coisa que eu quisesse, havendo as situações apropriadas para que acontecesse, seria possível.

Diante dos nossos medos de que as coisas não se realizem como gostaríamos, ficamos paralisados e isso pode nos distanciar de momentos de verdadeiro “milagre”.

O milagre não vai acontecer enquanto você cruza os braços e se recusa a viver o risco, a apostar suas fichas, a dar o passo seguinte mesmo ainda em dúvida sobre sua força, a deixar a insegurança para traz a voz que nos diz “isso é impossível” e se apegar no que acredita no fundo do coração.

 

assine_newsletterb

 

banner_novoeu

15 comentários

  1. Júlio César

    Incrível, Sou viciado em Praia, qualquer brecha, qualquer espaço no meu horário eu escapo aqui de SP e vou, sozinho mesmo, nadar, caminhar ou até correr por lá é diferente daqui da capital, é como se eu ficasse em estado de “Flow” eu nem percebo o tempo passar. Eu também achava impossível meu negocio dar certo mas a cada dia vejo que é possível e minha confiança aumenta. Ótimo artigo parabéns.

  2. Chico Montenegro

    Certa vez em uma conversa com um amigo ele estava comentando sobre a dificuldade de abrir uma empresa, iniciar um projeto, que ele queria tanto. Depois de muito papo e de ver ele reclamando de como nada ajudava eu percebi que na verdade ele estava esperando que alguém fizesse aquilo por ele. Como dizia minha mãe quando eu era moleque e pedia pra sair na rua e ela barrava com a frase: “Doce ilusão.”

    Minha mãe, que é analfabeta e veio do nordeste para SP tentar a sorte, também me dizia algo que na conversa eu falei para meu amigo.

    O mundo não vem até você. Nenhum desafio, conquista ou objetivo vai ser realizado com você no sofá. É preciso sair em busca do mundo e tentar, sempre e nunca parar.

    Ele abriu a empresa e eu agradeço minha mãe pelas sabias palavras.

    Paula, ótimo post!
    Acabei de lançar um projeto novo, espero que vc goste: http://www.olheforadacaixa.com/seja-empreendedor/7-segredos-do-sucesso/

    1. Paula Quintão

      Maravilha de comentário, Chico, o mundo não vem até nós, somos nós que temos pernas, pés e podemos percorrer os caminhos até o nosso sonho. Muito obrigada pela participação e a propósito… seu projeto está excelente, parabéns!

Deixe um comentário